SOMBRAS SOMENTE

14 fevereiro, 2007
  ...E A JUSTIÇA ALTEROU SUA FUNÇÃO.
*
UMAS PALAVRAS
Tenho recebido diversas solicitações de leitores para escrever sobre determinados assuntos.
Agradecendo essas manifestações, peço desculpas por não poder atender de imediato a todos.
Semana passada alguns desses pedidos foram referentes ao caso do menino João Hélio Fernandes, que foi arrastado brutalmente por diversas ruas da cidade ‘maravilhosa’ do Rio de Janeiro, e conseqüentemente morto.
Deveria mesmo eu escrever uma matéria sobre tal barbárie, e o fiz.
Não a publico, contudo, por acreditar que o texto desagradaria deveras, e na intenção de poupar a muitos o trabalho de me criticar ou ainda outros a ler tais comentários na caixa que livre deixo a todos para suas considerações.
Não acredito que o infeliz menino Hélio foi assassinado somente pelos cinco rapazes que são acusados pelo crime.
Em outros dias, talvez publique tal matéria.


Não deixa de ser interessante essa prática de em vez de punir os criminosos, procurar reintroduzi-los ao convívio social.
Bastante interessante.
Uma prática bonitinha mesmo.
O cidadão comete um crime bárbaro e recebe um apoio estatal.
Recebe um tratamento com o dinheiro das vítimas.
Estão mudando até os nomes das cadeias.
Chamam-se agora “Casas de Recuperação Social”, ou qualquer coisa assim.
Uma maravilha.
O cidadão incendeia um ônibus com pessoas dentro e não merece que se faça justiça.
Merece um tratamento.
Furta a verba destinada à merenda escolar das famintas crianças brasileiras, e não vai mais para a cadeia.
Vai para uma casa de recuperação.
Algo parecido ao caso de obesos que precisam permanecer algum tempo em um spa, para emagrecerem.
Um spa.
Não demora e estão chamando cadeia de spa.
Será, contudo, que isso funciona mesmo?
Será que o efeito dos métodos praticados nesses estabelecimentos de recuperação é duradouro?
Eles realmente se reeducam?
Passam a não ter desvios que os possam levar novamente à criminalidade?
Ah! Não sei.
Bom, mesmo assim não deixa de ser interessante.
Ouço falar que tais métodos consistem em oferecer períodos gradativos de convivência social como; passar uma semana em casa durante o dia das mães, outra semana no dia dos pais, mais uma nas festas de fim de ano e por aí vai.
Isso quando um juiz não resolve liberar definitivamente.
Sim, tem também a tal da progressão das penas. Regime semi-aberto, regime aberto, regime escancarado ou qualquer coisa assim.
Bonito.
Só não ouço é falar que existe um trabalho estudado e elaborado durante anos por especialistas e capazes no assunto, como psiquiatras, psicólogos ou coisa assim.
Parece que tudo é determinado por um juiz.
Um juiz sabe mesmo de tudo, ora.
Não há necessidade do trabalho de alguém melhor capacitado.
Ou eu é que sou mal informado e todo preso tem realmente um atendimento nesse sentido?
Um personal psicólogo.
Se assim for, peço desculpas pela ignorância.
É que sou mesmo muito ignorante.
Fico imaginando, contudo, se haveria tantos profissionais nessa área para uma demanda tão grande.
E se dizem que não há dinheiro para construir prisões para uma população carcerária com as proporções atuais, como pode haver para pagar esses profissionais para que possam ser desenvolvidos, caso a caso, um trabalho que requer uma atenção tão individual e minuciosa?
Ou é tudo só conversa fiada?
Que se coloca o criminoso nas ruas novamente sem lhes ter oferecido nenhuma forma de recuperação?
Besteira.
Isso são detalhes.
Importante é a beleza do método.
Como dizia Florbela Espanca e nem sei se foi ela mesma quem disse: “Examinar em detalhes é criar novos detalhes”.
Mas agora, um pensamento me sobressalta.
Como se recupera um indivíduo com curso superior, Bacharel em Direito, por exemplo, que teve toda uma educação orientada para o bem, e subitamente é preso por ter roubado alguns milhões de reais de um cofre público que não estava muito bem vigiado?
Podem os profissionais que analisam a mente humana, evidenciar esse tipo de comportamento e reeducá-los?
Ou consideram que isso é pura sem-vergonhice?
E, se não necessitando de tratamento algum, está apto a conviver novamente com a sociedade.
Será então que é por isso que esses criminosos de colarinho branco, não costumam passar mais de vinte e quatro horas numa prisão?
Deve ser.
Deve ser sim.
Ora, uma prisão não é mais voltada para punir o criminoso, mas sim recuperá-lo, e sendo o caso de um elemento desse tipo, basta uma leve repreensão e aconselhamento.
“Não faça mais isso, meu filho”. “Não é muito bonito”.
E pronto.
Pode ir para a rua.
Deve ser esse o motivo.
Deve ser.
Uma combinação da eficácia dos modernos métodos de psicologia e justiça.
Uma maravilha.
Talvez um dia, no caso dos que concluíram seus cursos superiores em universidades estatais, possam até requerer judicialmente uma indenização alegando que a má qualidade do ensino nesses locais foi que os conduziram ao crime.
A ineficácia do nosso ensino público. Gerando criminosos diplomados.
Uma indenização.
Sim, podem mesmo um dia requerer.
O cara é doutor e tá roubando.
Teve influência na faculdade.
Já o caso de um delinqüente que não possui nem o primário, deve complicar um pouco mais, óbvio.
“Porra cara, só porque você está com fome, acha que pode roubar um pote de manteiga? Enfiem esse vagabundo na cadeia”.
Deve ser o que aquele juiz que condenou a empregada doméstica Angélica Teodoro pensou.
Com toda a razão, obviamente.
Imagina a trabalheira que poderia dar a recuperação dessa moça. Os gastos para o cofre público.
Ia apodrecer na cadeia, não fosse o apresentador Datena.
Mas outra idéia me sobressalta agora.
É justo ainda termos que pagar um psicólogo para quem meteu a mão no dinheiro da merenda escolar dos nossos filhos, mesmo que tal pessoa tenha sempre vivido numa condição familiar, financeira, escolar e social acentuadamente superior à maioria dos nossos patrícios?
Porra!
O ministério se chama Ministério da Justiça.
Não se chama Ministério da Recuperação ou qualquer outra coisa nesse sentido.
Não.
Chama-se Ministério da Justiça.
E não é exatamente isso que entendemos por justiça.
Ou eu, pelo menos.
Bem... Eu sou um pouco mais ignorante, como já disse.
Contudo não seria bem mais interessante que essas azêmulas que dão nome a nossas instituições observassem colocações mais adequadas?
Se a justiça agora, não tem o sentido único de justiça, mas de socialização ou reintegração dos criminosos à sociedade, convém alterar os nomes dos bois, acredito.
Você não acha?
Que tal Ministério da Reintegração Social?
Bonito.
Mas não Ministério da Justiça. Pois tal nome perde seu real sentido. Fazer justiça é compensar perdas ou sofrimentos causados (salvo grande engano causado pela minha ignorância já citada), e não dar nova chance de cometer tudo de novo recaindo ainda os custos com a reintegração desse criminoso, ao bolso das próprias vítimas. Afinal, os impostos que paga, servirá para o tratamento de tais delinqüentes.
Contudo, mesmo que alterem os nomes, não fico totalmente convencido.
Posso até entender e aceitar quando os casos são de criminosos que tiveram uma infância cheia de privações, são vítimas de um total abandono do Estado, ou algo semelhante.
Mas outros não.
Vejamos o caso daquele desembargador de Rondônia, por exemplo.
Aquele que era presidente do Tribunal de Justiça (futuramente Tribunal de Recuperação).
O cidadão tem um alto grau de escolaridade. Um salário quase irreal se comparado com a grande maioria dos brasileiros.Pago inclusive por esses mesmos.Todas as mordomias possíveis.Até motorista na porta.
E, no entanto é desonesto.
Um grandíssimo salafrário.
Não tem o menor respeito pelos milhões de reais que foram subtraídos de nossos filhos para que lavasse uma vida a mais confortável possível...
E agora ainda temos que pagar um psicólogo para ele?
Isso é justiça?
Não, meu amigo.Isso não é justiça.
Isso não é justiça, não é método de reintegração, não é porra nenhuma.
Isso é patifaria.
E das grandes, meu amigo.
Das grandes.

 
Comments:
Olha, Sombras, desculpe a minha incisão mas,... um juiz FDP decide de acordo com a "Lei" (ou a interpretação que ele faz dela)
Eu realmente deixaria os criminosos num SPA.
Esse SPA consistiria num cubículo de 4x4 com um lareira sem chaminé e com uns carvõezinhos queimando ao som de... hmmm deixa eu ver qual o pior... hmmm... difícil... hmm... ah... não citarei pseudo-artistas nenhum... tirem suas próprias conclusões... de tantas porcarias que poderiam soar nesse tratamento... hahahaha que coisa, estou a ficar mau!!!
 
CARO SONBRA PARABENS PELO TEXTO, VALEU. UM ABRAÇO. J.ALVES.
 
Meu caro me permita a discordância cordial mas acho que voce confunde a idéia de Justiça, por isso faz boa parte das criticas que apresenta. É possível que a sanção penal, seja ela com adultos ou menores seja punitiva e concomitantemente ressocializadora. Há, por outrolado uma premissão equivocada de sua parte. Uma coisa é o indivíduo que tem um processo de desenvolvimento adequado e desenvolve um perfil infracional e outra é o indivíduo que teve desvios neste mesmo processo, alimentado pela irresponsabilidade, egoísmo e incompetência de nossa sociedade em oferecer condições para que ele fosse adequado e por conta desse desvio social acaba desenvolvendo (não por livre arbítrio e consciência) mas pelas circunstâncias sociais que lhe foram oferecidas (e não falo de pobreza, mas de educação referencial/afetiva e educação formal ausentes ou deturpadas). JUSTIÇA não é VINGANÇA. RIGOR, DISCIPLINA e SEVERIDADE não é TORTURA, VITIMIZAÇÃO E VIOLENCIA.
 
Mais um comentário só, não dá prá comparar um delinquente social e o processo que desenvolveu este perfil, com o delinquente neuropsiquiatrico, cuja necessidade é a de tratamento médico e o delinquente comum, movido exclusivamente por sua ambição, egoismo e desvio psicológico de ter a qualquer preço, inclusive as custas da apropriação do patrimônio alheio porque se acha o centro do mundo.
 
Sombra,
Isso
É
Ficção.
Coisa
da
tv
O
Menino

Vivo
Vai
Aparecer
No
Big
Brother
Qualquer
Dia
Os
Juízes
Devem
Estar
Posando
P/
Foto
Neste
Momento.
Vão
representar
O
mesmo
Papel
DE
SEMPRE.
È

Mais
uma
novela
da
GLOBO.
Deve
Estar
Dando
O
Maior
Ibope...
 
Olá!Mas por falar de patifaria o nosso Brasil infelizmente está cheio!
Bjs!!!
 
As informações são tão rápidas, que mal temos tempo de chorar e fazer nosso luto pelas meninas que caíram, pelo jornalista torturado, mortos em uma cratera (fruto do vazio de nossas instituições), pelo menino arrastado... Outras barbaridades acontecem - 10 mortos no final se semana - e não assimilamos todo esse horror que nos cerca. Não há espaço, outra notícia, outra manchete aparece. E nos protegemos "mentalmente" de tanto sofrimento. Ficamos horrorizados com tudo que acontece em Bagdá, mas, e com o que está acontecendo conosco, quem ficará horrorizado? Vivemos uma guerra civil, onde não há líderes, onde não há um inimigo explícito.Só há uma população imobilizada, apática, onde o Estado se mostra completamente ineficiente.
Orai por nós pecadores, orai por nós..

jefferson p.
 
Sombra, meu lindo sombra!
desde a 1ª vez que visitei teu Blog fiquei viciada em vc, como já disse Zé Ramalho, "vc tem a palavra certa p/ dotô não reclamar" É realmente preocupante a situação atual desse "nosso país tropical abençoado por Deus", até quando vamos conseguir viver assim? até quando os poderosos corruptos vão ficar impunes? até quando nós, simples mortais asalariados, vamos ter que viver dentro da nossa prisão, sim pq se vc não encher sua casa de grades,como se fosse uma prisão, esse vagabundos vão continuar à solta nos aterrorizando e em liberdade, enquanto nós aki com cara de bicho espantado!!
Pois é amado Sombra, fico até sem saber o que comentar diante de um texto tão rico em indignação, taí, indignação... é o que sinto !
Patifaria é pouco, sacanagem, falta de respeito, muita putaria, falta de uma lei que proteja as pessoas de bem... Esse é o nosso país governado por um presidente marionete. É esse o pais que meus filhos estão vendo, essa é a herança que meus netos vão ter que carregar... Um país sem lei, sem ordem, sem respeito com quem é de direito! E bota patifaria nisso.

Sombra, nas proximas eleições eu quero você p/ presidente. Pelo menos meu voto tá garantido.
Bjão p/ vc e vou ficar sempre ligada em vc.
 
Parabéns pelo seu post. Acho que se o brasileiro fosse mais racional, parasse de pensar somente em carnaval, futebol e novela e vivesse e enxergasse a vida não como um espetáculo na sapucaí, nossas vidas estariam, quem sabe, um pouquinho melhor. Nosso País precisa de cabeças pensantes não de bundas e bolas de futebol.


Abraço.
 
Gostei de ler.
mas as prisões de que ouço falar não têm condições. Não sei como é feito essa "recuperação aí. Apenas acerca deste triste caso já falei a muitos brasileiros sobre a escola pública sem qualidade que tem; com curriculo do tempo da ditadura e das unicversidades que viram as costas á formação de professores a sério. Assim sem Educação o que é o futuro de um povo? Mas ninguém se quer mexer qd se fala em não fazer turmas de mais de 25 alunos de equipar as escola com bibliotecas e laboratórios e professores com curso para professor e não engenheiros ou moços de 20 anos a dar aulas...É na escola que se educam para a cidadania os futuros pais e sem meterem a religião á baila. Porque a religião não dá educação. É tb um ópio do povo.
Concordo que brasileiro não quer saber mas acho que isso é devido ás escolas publicas que tendes. Qd é que numa escola privada de patricinhas e betinhos se vê moços de favela, emigrantes e pobres? Vai mal o ensino Muito mal. E ninguém se mexe.
Gostei de o ler e concordo com tudo o que diz.
 
Sombra querido,
Excelente comentário o seu, sobre um assunto tão grave, tão delicado. Cada vez mais você me encanta e me cativa, se é que ave peregina pode ser cativada.
Sou leitura de tudo que você escreve, e agradeço por tê-lo tão essencialmente lúcido no meu caminho. Acho até que nós dois estamos ficando suspeitos para tais elogios, devido a nossa crescente e essencial cumplicidade intelectual. Mas... a identificação que nos envolve faz parte da teia que nos tece. A recíproca, bem sei, é mesmo verdadeira e está acima de todas as inúteis interpretações.
Sucesso, sempre, querido.
A amiga, apenas distante cara-a-cara.
Rsrsrsrsrsrsrs...
Sintra, Portugal.
 
Cade o seu post pós caranavalesco?
 
Quanto à justiça, nivel de instância singular. a maioria absoluta dos juízes é honesto, bem formado, pelo menos isto, em contraponto com os analfabetos do executivo e legislativo, que por graça é quem faz as leis...
Já a nivel de tribunais é mesmo coisa arranjada; e o supremo reduto dos presidentes, que fazem as NOMEAÇÕES.
É mole?
No mais, amigo, viva a arte de escrever!
fraterno abraço
ltl
 
desculpe o honesto e leia por favor honesta maioria e bem formada
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home
ENCONTRE-ME NO ORKUT USUÁRIO SOMBRAS SOMENTE

Minha foto
Nome:
Local: Brazil

Não sei.

ARCHIVES


Powered by Blogger

contador de visitas
contador de visitas