SOMBRAS SOMENTE

21 fevereiro, 2007
  O AVIÃO DA GOL CAIU EM CIMA DO POVO
(NOSSOS GOVERNANTES CONSEGUIRAM)
*
*
O Lambisgóia não convenceu o Matusquela ao encontro.
Eu bem que iria fazer esse esforço.
Tenho mesmo algum interesse em conhecer esse casmurro (perspicaz, no entanto) Matusquela.
Sei que ele é chato pra cacete, mas tem algumas idéias que talvez me abram novos horizontes. E eu precisava tentar mudar a imagem que tem sobre a minha pessoa.
Ademais, eu bem preciso rever a maravilhosa capital alagoana.
O encontro iria se dar em um restaurante no nostálgico e histórico bairro do Jaraguá, próximo ao porto, onde se pode comer frutos do mar sentindo o inebriante odor do mesmo.
Mas não vou ficar acabrunhado se esse encontro sofreu nova protelação.
Ele parece não conseguir gostar mesmo de mim, se é que gosta de alguém, exceto o Lambisgóia.
Transcrevo aqui então, e talvez com mínimas e perdoáveis imprecisões, uma das últimas conversas entre os dois, que o Lambisgóia (sempre gentil) demonstra o maior interesse em me participar.
A quem interessar possa, deixo dito que se encontram mais diálogos entre essas duas personagens nesse blog.
Se o leitor tiver a paciência de rolar o ‘mouse’ na procura.




O telefone toca no horário habitual.

MATUSQUELA:
_ Espere um pouquinho, Lambe. Já te atendo.

LAMBISGÓIA:
_ Certo.

(alguns minutos)

MATUSQUELA:
_ Pronto, Lambe. Agora está tudo bem.

LAMBISGÓIA:
_ Algum problema, Matu?

MATUSQUELA:
_ O de sempre, meu amigo. O de sempre. Há vinte e três anos ensino a patroa a separar a picanha do alcatre e da maminha, e ela não aprende. Já compro a peça inteira para nada perder, mas não tem jeito. Se eu não for dar uma olhada...Nem os bifes ela sabe tirar. Faz o corte quase sempre no sentido das fibras. Não sei mais o que fazer. Agora pergunte quem são todos os integrantes dessa merda de bigbrother e ela responde na horinha. É capaz até de saber o número da identidade e cpf de cada um. Não agüento, meu amigo. Não agüento.

LAMBISGÓIA:
_ Calma Matu! Ela tem suas qualidades.

MATUSQUELA:
_ Ah, tem! Colocar pedaços de cebola na salada de batatas e maionese. Já falei mais de um milhão de vezes que nesse tipo de salada, a cebola tem que ser macerada e não cortada, mas não tem jeito. Agora pergunte quem comeu quem na novela das oito e ela informa até a intensidade do orgasmo.

LAMBISGÓIA:
_ Não se exaspere, meu amigo. Vamos mudar de assunto. Você viu as novas do jornal?

MATUSQUELA:
_ Não. Ainda não li o jornal. Mas quem matou quem? A notícia é sempre essa, não é?

LAMBISGÓIA:
_ Não. É que começam a aparecer mais novidades do caso do avião da Gol. Você estava coberto de razão. O transponder do Legacy estava mesmo desligado.

MATUSQUELA:
_ Ah, estão descobrindo agora, então?

LAMBISGÓIA:
_ É. A Polícia Federal revelou algumas das conversas entre os pilotos, obtidas através da caixa-preta. Elas dizem claramente que o transponder estava desligado.

MATUSQUELA:
_ Só um idiota para não saber disso, Lambe. Nem precisava abrir essa merda de caixa. Bastava abrir a cabeça. Matematicamente um choque entre aeronaves com transponder ligado é quase impossível, meu amigo. Se Laplace pudesse ressuscitar e fazer os cálculos, certamente diria que tal chance seria de uma em mais de dez bilhões, sem considerar outros fatores e principalmente o espaço aéreo em que trafegavam. Foi tudo uma imensa armação para ludibriar o povo, Lambe. Armação de vários setores interessados. Como lhe disse logo no começo...Muito dinheiro envolvido nas indenizações.

LAMBISGÓIA:
_ É. Lembrei logo do que você falou quando li sobre o possível indiciamento de alguns controladores do Cindacta de Brasília.

MATUSQUELA:
_ Fizeram, então?

LAMBISGÓIA:
_ Ainda não, mas está quase tudo certo. A Polícia Federal deve pedir o indiciamento de três controladores de tráfego.

MATUSQUELA:
_ Eu te avisei. Primeiro a justiça condena a Gol a pagar indenização e agora procura jogar a culpa sobre os mais fracos e aonde o dinheiro não pertence a ninguém. Eu te avisei.

LAMBISGÓIA:
_ É. O Sombras também já havia me falado que provavelmente a seqüência dos acontecimentos poderia ser essa.

MATUSQUELA:
_ Pronto. Lá vem tu com esse tal de Sombras.

LAMBISGÓIA:
_ Sei que você não o aceita muito bem, Matu, mas veja como as opiniões de vocês dois são parecidas. Ele também criticou que a justiça tenha se voltada contra a Gol.

MATUSQUELA:
_ Qualquer pessoa com um mínimo de bom senso, acharia essa posição no mínimo estranha, Lambe. A Gol passar de vítima a ré. Perdeu uma aeronave, a sua imagem afetada e dinheiro prestando uma assistência exemplar aos parentes nos dias pós-acidente, assistência essa que o governo negligenciou totalmente, e agora se vê condenada. Enquanto os principais responsáveis jamais responderão pelo crime. Não interessa a nenhum dos dois governos envolvidos e muitos menos às empresas aéreas e seguradores. Tudo previsto. Um absurdo total. Coisas da nossa justiça. A aeronave da Gol está com todos os seus equipamentos ligados, trafegando em altitude estabelecida para o vôo, tudo nos conformes e repentinamente aparecem uns delinqüentes em rota contrária, com transponder desligado, altitude não prevista e pronto. Mais de cem vítimas e os principais responsáveis jamais responderão por esse crime.

LAMBISGÓIA:
_ É verdade. Mas uma coisa eu não entendo, Matu. Se de qualquer forma terá que haver indenizações, o que se pretende, então?

MATUSQUELA:
_ Acontece, meu amigo, que se encontrarmos culpados em nosso território, as coisas ficam bem mais fáceis para as empresas envolvidas. Primeiro que existe uma jurisprudência construída pelos nossos maravilhosos ministros do STJ onde o dano moral por vida perdida não ultrapassa os cinqüenta mil reais. Depois vem a questão da morosidade dessa mesma justiça. A possibilidade de os parentes se exasperarem e procurar fazer logo qualquer acordo para não esperar mais de dez anos para receber alguma coisa. Ainda por cima a questão do dinheiro público.

LAMBISGÓIA:
_ Como assim?

MATUSQUELA:
_ Se pudermos jogar a culpa como nos controladores, por exemplo, os Fundos de Pensão e a Previdência Social é que irão arcar com todas as despesas decorrentes de pensões ou coisas assim. E quem liga para o dinheiro público? As companhias aéreas e seguradoras bem economizarão alguns milhões de dólares e certamente distribuirão alguns presentinhos a certas de nossas autoridades constituídas. Sai bem no agrado de todos, e os parentes das vítimas que se fodam.

LAMBISGÓIA:
_ Caramba!

MATUSQUELA:
_ Já que se for comprovado a culpabilidade dos pilotos do Legacy, as coisas mudam de figura. A justiça americana entra no caso e aí as coisas podem ficar mais pretas que as caixas das aeronaves.

LAMBISGÓIA:
_ É verdade.

MATUSQUELA:
_ Procure lembrar tudo desde o começo. A estranha dificuldade na operação de resgate das vítimas. O ministro Waldir Pires, da Defesa Civil, dizendo que a região é de difícil acesso e coisas assim. Muito estranho. Região de difícil acesso. O acidente deve ter sido no cume do Himalaia. Posso garantir que nossos militares estão muito bem preparados para atuar em nossas regiões tropicais... E depois que encontram os destroços, essa operação é interrompida a todo instante, alegando-se até mesmo o incômodo em passar a noite num local de muitos mosquitos. Puta que pariu! Nossos militares, além de ter em seus equipamentos redes para dormir totalmente adequadas contra tais insetos, ainda possuem líquidos corporais repelentes. Sem falar que poderiam fazer algumas fogueiras que auxiliam muito nesses casos. Sei porque tive a honra de servir às nossas forças armadas. Cansei de dormir em tudo quanto é selva e nunca vi nenhum militar se queixar de inseto. Então quer dizer que se houvesse algum sobrevivente, ele deveria passar a noite com seu braço ou perna quebrados e totalmente à mercê de todos os tipos de bichos, porque os militares não estavam em condições de suportar algumas picadinhas? Não, meu amigo. Nenhum de nossos militares se recusaria a passar a noite no local do acidente. Geradores e todo o tipo de equipamentos poderiam ser locomovidos para, inclusive, até mesmo continuar a busca durante toda a madrugada. Mas o alto escalão de merda precisava ganhar tempo. Negociações já poderiam estar sendo previstas. Os integrantes da COUCA já estavam atuando.

LAMBISGÓIA:
_ COUCA? O que é COUCA, Matu?

MATUSQUELA:
_ Mas tu és burro mesmo, Lambe. Nunca ouviu falar da COUCA? Comissão dos Observadores de Urubus Comendo Alface. A turma que não faz nada. Fica só na espera da carniça.

LAMBISGÓIA:
_ Gostei. Não conhecia essa.

MATUSQUELA:
_ Essa é velha, meu amigo. Agora já estão criando uma outra. A CqueBP. Comissão que Investiga Evidências de Supostas Aptidões para Saltos Ornamentais do Bicho-Preguiça em Piscina sem Água. Parece que o José Dirceu voltou do seu vergonhoso retiro para assumir a presidência dessa comissão que terá como tesoureiro outro José. O Genoíno.

LAMBISGÓIA:
_ Você esculhamba mesmo, Matu.

MATUSQUELA:
_ Não, meu amigo. Quem vem esculhambando conosco há muito tempo, são eles. Quem vem esculhambando esse país são os nossos poderes. Os três poderes que deveriam estar separados, mas que agora estão unidos na roubalheira.

LAMBISGÓIA:
_ O Sombras sempre me diz isso também.

MATUSQUELA:
_ Ai, ai, ai. O Sombras me diz isso...O Sombras me disse aquilo...Tu tas variando de cardápio, Lambe?

LAMBISGÓIA:
_ Ah, Matu! Não enche o saco. Só porque você não gosta dele...

MATUSQUELA:
_ Eu nunca disse que não gosto dele, Lambe. Só que eu acho que ele é um cara esquisito. Não sabe o que quer e não acredita em nada. Nunca tem opinião formada. Um revoltado a todo instante. Um corno. Sim, deve ser isso. Um corno. Corno nunca está satisfeito com nada. Antigamente eu pensava que ele fosse viado, mas estou mudando de opinião. Deve ser mesmo um corno.

LAMBISGÓIA:
_ Eu acho que ele tem opiniões muito bem formadas, Matu. Você é que não simpatiza com ele e por isso não consegue entender direito as idéias dele. Veja o caso do avião da Gol. Bem antes de você, ele já tinha me alertado para o estranho comportamento dos pilotos do Legacy.

MATUSQUELA:
_ Grande merda. Qualquer um deveria ter visto isso. Dois aviões se chocam em pleno ar e enquanto todos morrem de um deles, do outro todos escapam. Os pilotos deveriam ser aclamados como verdadeiros heróis. Deveria haver festejos e comemorações diversas. Entrevistas a todos os canais de imprensa. Missas de agradecimento a serem ministradas pelo milagre. Mas não. Os pilotos do Legacy imediatamente se trancam, ou são trancados, por quase dois meses. Isso não é típico a quem escapa de forma extraordinária de um acidente. Isso é comportamento de culpados. E o mais estranho. Nenhuma autoridade toma os seus depoimentos. Durante dois meses, os dois únicos tripulantes sobreviventes e testemunhas do maior acidente aéreo dessa nação, não são solicitados a prestar nenhum depoimento. Muito interessante. E aí vem o fechamento. Transcorridos esses dias, a justiça resolve liberá-los ao país de origem. Voltam sem prestar nenhuma declaração, mas com a promessa de caso seja necessário, retornar ao Brasil para esclarecer os fatos. Vão... Vão retornar. Vão retornar na safra da azeitona ou na festa de casamento do Ronaldo Esper com a Marília Gabriela. Tudo arrumado. Tudo bem arrumadinho pelos capazes órgãos de inteligência de nosso governo. E quem terminará pagando todas as indenizações será o povo. Isso até me lembra aquele furinho do metrô de São Paulo que todo mundo insiste em chamar de buraco. Aquilo é só um furinho, meu amigo. O verdadeiro buraco é outro. Mas dificilmente os brasileiros tomarão conhecimento dele. A verdadeira causa daquele furinho é puramente financeira e serviu beneficamente a muitos.

LAMBISGÓIA:
_ Caramba! O Sombras me disse a mesma coisa.

MATUSQUELA:
_ Pronto. Lá vem você de novo. Tu tas apaixonado por esse cara, Lambe?

LAMBISGÓIA:
_ Ah! Não enche , Matu! Vamos voltar ao acidente. Outra coisa que o Sombras bem lembrou, foi aquela estranha bagunça nos aeroportos que ocorreu quase logo em seguida. Ele acha que pode ter sido uma outra armação.

MATUSQUELA:
_ É provável, Lambe. Uma conjetura bem provável. Foi realmente uma significativa coincidência o descontrole total do tráfego aéreo quase logo depois do acidente. Talvez uma montagem para uma possível variante dentro do desenrolar das possibilidades a serem apresentadas de forma fantasiosa. Se algo não estivesse sendo muito bem engolido pela população, poderiam mostrar o caos em que o acidente aconteceu. A inoperância dos sistemas de proteção ao tráfego aéreo ou coisa assim. Uma variante que poderia servir como peça de apoio ao drama montado.

LAMBISGÓIA:
_ É. Bem pode ser, Matu.

MATUSQUELA:
_ Não quero afirmar, mas que repentinamente apareceram estranhas coincidências, apareceram. E a Teoria das Probabilidades não sustenta todas elas, meu amigo.

LAMBISGÓIA:
_ Voltando um pouco aos pilotos...Fiquei bastante indignado com os diálogos depois do choque. Assim que ocorreu a colisão, o Lepore chega a dizer ao Paladino: ‘Nós batemos em outro avião. Eu não sei de onde essa porra veio’.

MATUSQUELA:
_ O que confirma a minha opinião sobre eles, Lambe. Dois moleques. O Legacy estava sendo pilotado por dois moleques.

LAMBISGÓIA:
_ Acho que você está exagerando, Matu.

MATUSQUELA:
_ Exagerando? Veja como ocorreu o choque, Lambe. O Legacy bateu com a ponta de uma das asas por baixo do avião da Gol. Pense bem. É normal uma aeronave voar com uma das asas para cima e outra para baixo? Essas asas não deveriam estar niveladas? No momento da colisão eles não deveriam estar fazendo manobras de curvas ou algo assim. Naquele momento o vôo era em linha reta. Então por que o desnível entre as asas? Pense bem.

LAMBISGÓIA:
_ Mas não seria devido a uma manobra para desviar do avião da Gol?

MATUSQUELA:
_ Deixa de ser burro. A velocidade que essas aeronaves alcançam em pleno vôo, faz com que seja impossível tentar algum tipo de manobra para que não ocorra uma colisão. Na verdade, só se consegue perceber o choque depois que ele acontece.

LAMBISGÓIA:
_ Então o que você quer dizer com esse negócio das asas?

MATUSQUELA:
_ Eu não vou lhe dizer nada, meu amigo. Eu quero que você pense. E quero que ligue essa estranha posição das asas com a declaração de um dos passageiros do jato, logo após chegar nos Estados Unidos.

LAMBISGÓIA:
_ Qual declaração, Matu?

MATUSQUELA:
_ Mais ou menos uma semana após o choque, esse passageiro declara que os pilotos do Legacy estão correndo um real perigo em território brasileiro. Por que? Pilotos que conseguem milagrosamente escapar de um acidente aéreo costumam ser homenageados e não assassinados. As palavras desse passageiro não fazem nenhum sentido. A não ser que ele soubesse de algum fato que correspondesse à sua preocupação e que ainda não tivesse sido descoberto, mas acreditasse que logo seria.

LAMBISGÓIA:
_ Não consigo ligar as palavras dele com a asa do avião, Matu.

MATUSQUELA:
_ É porque tu és mesmo tapado, Lambe.

LAMBISGÓIA:
_ E você é um cara grosso pra caramba, Matu. Você diz que o Sombras deve ser corno, mas eu acho que você é que já não dá uma a muito tempo. Por isso toda essa grossura. Você passa o dia ensinando sua mulher a cozinhar, mas quem deve estar comendo esses petiscos são outros. E não quero mais papo. Vou desligar.

MATUSQUELA:
_ Ei! Espera aí, Lambe. Não fica brabo. Não desliga. Eu não quis te ofender. Tu sabes que sou assim. Você desligou? Lambe! Lambe! Acho que desligou mesmo. Tudo bem. Amanhã ele liga de novo. Não tou comendo... Não tou comendo... Pois ele vai ver. A patroa que me aguarde essa noite.

 
Comments:
Caro Sombras,

Matu e Lambe sempre são maravilhosos, assim como o histórico Jaraguá. Rs

Já estava sentindo falta da conversa dos dois - ainda bem que nos deleitaste com mais um telefonema entre eles.

O Matu é mesmo muito perspicaz.

Abraços!

Mariana
 
CARO SOMBRA !

INFELIZMENTE EU CONCORDO COM PLENAMENTE COM TUDO ISSO.
NADA DO QUE ACONTECE NO BRASIL É POR ACIDENTE. E SE POR ACASO FOR, ESSE BANDO DE LADRÕES AINDA DÃO UM JEITO DE TIRAR ALGUMA VANTAGEM.
PENA A POPULAÇÃO TER ESPÍRIRITO DE MATUSQUELA.

ARAÇOS

JANE
 
Muito bom heim...
Ah se todos os brasileiros parassem de aceitar tudo que a mídia empurra goela abaixo e pensasse um pouco...
 
Eu também concordo com tudo (o sombra narra com tamanha nitidez e sabedoria que me faz achar até mesmo que tenha alguma culpa ou participação no episódio...rss).
O problema é o E DAÍ?
E daí que acho que deviamos mandar isso a algum jornal ou a algum jornalista que tenha peito pra divulgar essa 'possibilidade'.
Temos isso no Brasil?
Se nao temos, temos a internet...eu sugiro um verdadeiro SPAM desse post do sombras.
PS: eu nao ando de avião nem fudendo.
 
massa massa
 
Hum!Que perigo esse nosso Brasil!
Além da insegurança em que vivemos!Não temos furacões,vulcões mas em compensação temos esses politicos!
Pobres brasileiros!!!
 
Amigo, eu acho que a culpa é também de Cabral.
Se ele não tivesse descoberto o brasil, provavelmente aquele ramo "silva" não tivesse vindo.
Mas genial mesmo é o dialogo Matusquela Lambisgóia...
Belas personagens de quem espero cobras e secorpiões; e não me venha com calangos! rsrsrsr
(riso)
nem puna nenhum dos dois com longas férias.
naturalmente que os Sombras deve interagie sempre mais com eles porque senão! esses malucos podem sair por aí...
prabéns amigo!
fraterno abraço
jtl
 
Muito bacana! Curti mesmo!

Só vou discordar de alguns pontos do Matusquela (E eu não sou nenhum corno nem baitola por isso!):

1º - O passageiro dizer que os pilotos corriam risco aqui no Brasil, na minha opinião, pode apontar duas coisas ao invés do sugerido pelo Matusquela. Primeiro, à época do acidente, todas as evidências apontavam culpa dos americanos. Brasileiro, um povo sedento por justiça, provavelmente procuraria fazer justiça com as próprias mãos - ou seja, enviariam os dois pilotos lá pra junto do pessoal da Gol. Segundo, ele podia estar se referindo à possibilidade dos pilotos serem julgados pelo maravilhoso sistema judiciário brasileiro, ao invés de terem a oportunidade de serem julgados nos Estados Unidos (Que pode ter seus defeitos, como a arrogância, mas pode se gabar de ter um sistema penal superior ao nosso.)

2º - Discordo que o caos aeroportuário (Essa palavra existe?) tenha sido uma manobra do governo. Como uma das causas principais foi o overbooking da TAM, eu acredito que tenha sido mais uma falha, mesmo. Quero dizer, pra caber em uma teoria, a TAM teria que, deliberadamente, vender mais passagens que podia comportar. E eu não acho que eles pensariam "Pô, vou vender um monte, isso vai agravar o caos nos aeroportos, eu vou tomar multas abissais e sairei com o nome queimado na mídia". Ainda mais porque um escândalo não cairia bem pra TAM, na época, porque eles precisavam manter os clientes conquistados após a falência da Varig, que, atualmente, está voltando ao mercado e quer os clientes de volta.


Essa é minha opinião, claro. Sinta-se à vontade para discordar, ou incorporar o Matusquela e mandar-me à puta que pariu!
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home
ENCONTRE-ME NO ORKUT USUÁRIO SOMBRAS SOMENTE

Minha foto
Nome:
Local: Brazil

Não sei.

ARCHIVES


Powered by Blogger

contador de visitas
contador de visitas